quarta-feira, 11 de março de 2020

Maior Parque Urbano do Mundo

Em 2010, o Jornal Impacto registrou o reflorestamento do Parque Estadual da Pedra Branca, na zona oeste da capital do Rio.

Parque Estadual da Pedra Branca - Foto: Luiz Martins
O projeto recebeu o nome de "Carbono Zero na Campanha 2016" e teve como objetivo a neutralização das emissões de gases poluentes gerados pelas obras para realização dos jogos olímpicos que aconteceram na cidade do Rio de Janeiro.

O morro do Parque corta toda zona oeste do Rio - Foto: Luiz Martins
O Parque Estadual da Pedra Branca é uma unidade de conservação ambiental, a restauração de 224 hectares de Mata Atlântica no trecho de Piraquara, na região metropolitana do Rio, foi financiada pela Petrobrás e contou com a parceria do Instituto Estadual do Ambiente (INEA-RJ).

Vegetação típica da Floresta Atlântica - Foto: Luiz Martins
A região é protegida desde 1974, quando foi criado o Parque, que possui cerca de 12.500 hectares de área coberta por vegetação típica da Floresta Atlântica e guarda o ponto mais alto da cidade do Rio de Janeiro, o pico da Pedra Branca, com 1024m de altitude. É o maior parque natural urbano do mundo com sua área de 12.500 hectares, com cerca de 80 Kms de diâmetro.

O ponto mais alto do Parque fica 1024m de altitude - Foto: Luiz Martins

As Rochas, a Flora e a Fauna.

O Pico da Pedra Branca, ponto culminante da cidade, pode ser avistado de qualquer parte dos bairros de Bangu, Realengo e da região da Barra da Tijuca, principalmente no litoral do Recreio dos Bandeirantes e adjacências.

No Parque há também a famosa Pedra do Osso, que tem 20 metros de altura e desafia a gravidade se "equilibrando" na vertical. A formação rochosa despertou a curiosidade das pessoas por se “equilibrar” verticalmente sobre o solo e parecer desafiar a gravidade. De acordo com geólogos, a pedra foi formada há mais de 500 milhões de anos. A rocha se formou há 513 milhões de anos lá embaixo, apareceu na superfície há cerca de 100, 200 mil anos e vem se esculpindo desde então pela erosão.

Pedra do Osso com 20m de altura desafia a gravidade equilibrando na vertical - Foto: Luiz Martins
O Parque é encoberto por vegetação típica da Mata Atlântica (cedros, jacarandás, jequitibás e ipês), a qual serve de abrigo a uma generosa fauna composta por jaguatiricas, preguiças-de-coleira, tamanduás-mirins, pacas, tatus, lagartos, capivara, macaco prego, ouriços, tucanos, jacus, inhambus e cotias.

Macaco Prego - Foto: Luiz Martins
Como a maior floresta urbana do Brasil, o Parque tem um papel central no equilíbrio hídrico e climático da cidade do Rio de Janeiro, ocupando cerca de 10% do seu território. Além disso, ele protege mais de 50% do remanescente de Mata Atlântica da cidade do Rio de Janeiro, que é considerado um dos biomas mais ricos e mais ameaçados do Brasil e do mundo.

Atividades e Cachoeiras.

No núcleo Piraquara, em Realengo, há uma área de lazer com brinquedos para crianças, aparelhos para exercícios físicos e também mesas e espaço para a realização de piqueniques e confraternizações. 

Prática de Rapel - Foto: Luiz Martins
Nesta parte, é possível também realizar a prática de rapel na estrutura do aqueduto que corta o Parque, que é responsável pelo abastecimento de água para diversos pontos da cidade - leva água do Rio Guandu para a zona sul do Rio.

Aqueduto que corta o Parque - Foto: Luiz Martins
O Parque possui diversos pontos com cachoeiras e piscinas naturais. O que também chama a atenção dos visitantes, são as quedas d'água dos trechos do Rio Piraquara na qual podem ser aproveitados para relaxar. 

Pontos com cachoeira e piscina - Foto: Luiz Martins
Há uma piscina artificial em um dos pontos preferidos pelas pessoas que frequentam o local para banho.

Piscina no trecho Piraquara - Foto: Luiz Martins
A importância da preservação.

As florestas sempre tiveram um papel importante na vida do ser humano. Entretanto, só depois da repercussão negativa nas mudanças da qualidade de vida, as influências florestais sobre o todos os aspectos naturais como clima, ar, água, solo, e, consequentemente, a nossa saúde ganharam real valor.

Rios formados pelas cachoeiras - Foto: Luiz Martins
O aumento da população, aliado às mudanças do ambiente imposto pelo homem, exerce grandes pressões sobre a atmosfera, ocasionando diferentes impactos sobre a natureza. Por isso, é importante que estejamos juntos na empreitada de preservar e cuidar do nosso meio ambiente. Para que a nossa missão seja alcançada plenamente, é essencial a participação de todos nesta ideia. (Por Luiz Martins).
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Copyright © JORNAL IMPACTO | Suporte: Mais Template