segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Bairros tradicionais da Zona Oeste pedem socorro

Abandonados pelos governantes, locais tradicionais da Zona Oeste, no Rio de Janeiro, precisam de ajuda.

Coreto de Sepetiba - Foto: Luiz Martins

Bairros como Sepetiba, Praia da Brisa e Pedra de Guaratiba já são, há anos, explorados por políticos em época de eleição, e abandonados logo depois das campanhas eleitorais.

Patrimônios públicos de uso da comunidade que deveriam ser preservados, devido não só ao alto custo de sua construção como também à preservação de importantes pontos turísticos da região para visitantes e moradores, são abandonados e trazem perigos à população.

Sepetiba.

Sepetiba é um local histórico, de beleza única, que já foi considerado paraíso litorâneo, comparado até mesmo com a região de Búzios, e suas praias serviram como porto colonial para exportação de Pau-Brasil à Europa.

Orla de Sepetiba - Foto: Luiz Martins

O lugar em que suas praias já chegaram a concorrer com as praias de Copacabana, Leme e outras, hoje vive sob óleos e esgotos. Sepetiba, que já chegou a estar entre os maiores pólos pesqueiros do país, enfrenta a grande dificuldade dos pescadores locais. Seus moradores reclamam da falta de opção de lazer, pois até a tradicional orla está abandonada.

O pier foi construído até a metade - Foto: Luiz Martins

O único pier construído pela prefeitura não chega até a água. Já viram um pier que fica pelo meio do caminho? Assim é o pier da orla de Sepetiba.

Praia da Brisa.

A Praia da Brisa, localizada entre Sepetiba e Pedra de Guaratiba, tornou-se um dos mais belos parques à beira-mar da cidade, com os seus cataventos, chuveiros, pista de cooper, ciclovia, trailers diversificados e muito verdes.

Praia da Brisa - Foto: Luiz Martins

Dotada de 4 píers ancoradouros que permitem ao visitante fazer belas fotografias, a praia é entremeada por um loteamento de classe média, onde existe, além dos quiosques, bons restaurantes, pousada e outras opções de lazer.

Pier caindo aos pedaços - Foto: Luiz Martins

Porém, assim como Sepetiba, também foi esquecida pelos governos e hoje sofre com abandono.

Recanto dos pescadores - Foto: Luiz Martins

Seus píers estão caindo aos pedaços, e a antiga sede (Recanto) dos pescadores está totalmente destruída.

Pedra de Guaratiba.

Não é de hoje que os moradores de Pedra de Guaratiba reclamam da falta de manutenção dos píers, que estão com as madeiras apodrecendo e com grande parte deles já caídas, deixando buracos nas passarelas.

Pedra de Guaratiba - Foto: Luiz Martins

O píer é importantíssimo para os moradores e grupos da terceira idade que utilizam esse espaço em seus passeios e atividades físicas.  A prefeitura abandonou completamente esse patrimônio tão importante para o bairro. As queixas vão desde falta de iluminação até falta de segurança, pois mesmo caindo aos pedaços, algumas pessoas usam o local.

Desfile sobre a passarela do pier - Foto: Luiz Martins

Preocupados com o que aconteceu na ciclovia Tim Maia, em São Conrado, onde a maré tirou parte do local, os próprios moradores da Pedra de Guaratiba interditaram dois trechos de seus piers.

Passarela sobre o mar - Foto: Luiz Martins

O pier de Pedra sempre foi o maior destaque do local, por ser um local bonito e tranquilo, onde o visitante pode curtir e fotografar o por do sol. 

Parte da lateral do pier caiu sobre o mar. - Foto: Luiz Martins

Diante de tantas reclamações, a prefeitura encontrou um jeito de resolver o problema, fechando de vez a entrada de acesso aos piers, ao invés de consertá-los.

Entrada do pier fechado pela prefeitura - Foto: Luiz Martins

Descaso total do poder público.

A ausência do poder público está levando os comerciantes de Pedra ao desespero. Proprietários de restaurantes estão tendo muita dificuldade para manter os seus estabelecimentos funcionando, por falta do seu principal ponto de lazer.

Patrimônio público abandonado.

Os píers de Pedra de Guaratiba foram construídos no ano de 2001, um projeto do vereador Argemiro Pimentel, que visava a construção de píers com atracadouros na Praia da Ponta Grossa, final da Rua Maestro Deozílio Pinto, sobre a baia de de Pedra de Guaratiba.

Na época, se tornou uma nova atração do bairro, porém, o que era motivo de orgulho, agora só traz preocupação. A prefeitura abandonou o patrimônio, e as queixas vão desde falta de iluminação até falta de segurança.

Os píers são importantíssimos para os moradores e visitantes que utilizam esses espaços em seus passeios e atividades físicas. E merecem ser cuidados e preservados pelas autoridades. A vida no local vai além das campanhas eleitorais e a população merece ser bem assistida em todas as épocas dos anos.

(Por Luiz Martins)

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

1 coment�rios:

Unknown disse...

Muito legal. Vc poderia ir preparando dentro da página do impacto porque assim. Que tiver orçamentos inscritos estarei me reunindo com diretores da empresa para deluberarem recursos pra rodar

Copyright © JORNAL IMPACTO | Suporte: Luiz Martins