terça-feira, 30 de outubro de 2018

CLÍNICA DA FAMÍLIA - DE REFERÊNCIA AO DESCASO


CONCEITO INÉDITO NO PAÍS E CENTRO DE REFERÊNCIA DO BEM ESTAR DA POPULAÇÃO NOS BAIRROS DO RIO.

Instalações de uma Clínica da Família em Rio da Prata (Bangu), que nem chegou ser inaugurada. 

Quando o atual prefeito Marcelo Crivella era então candidato à prefeitura da cidade do Rio, uma de suas propostas era “cuidar da família”. Porém, recentemente, ele já resolveu acabar com as Clínicas da Família.

As Clínicas da Família foram criadas no ano de 2009, com objetivo de reduzir a superlotação nos hospitais do Rio, um projeto inovador que poderia ser implantado em todo país.

Construídas nas comunidades do Rio, as unidades de saúde (Clínicas da Família) promovem os primeiros atendimentos na prevenção da saúde da população. Nos consultórios, são atendidas questões de baixa complexidade, que evitam a evolução para os quadros mais graves.

Em cada Clínica, existem diversos mapas com o cadastro local e bancos de dados que reúnem informações sobre o andamento da saúde dos cidadãos por região, fornecendo aos gestores, informações detalhadas de cada família.

Cada clínica é composta por médicos, enfermeiros, técnicos, dentistas e agentes de saúde, que têm por finalidade a visita aos moradores cadastrados e acompanhamento do seu estado de saúde. Ao diagnosticar os quadros que necessitam de cuidados diferenciados, os médicos responsáveis pelas equipes encaminham os pacientes para unidades especializadas e hospitais de referência.

Além dos atendimentos médicos realizados nas clínicas, são feito um trabalho de prevenção da saúde familiar, visando a economia com os gastos futuros relacionados à saúde.

Os serviços oferecidos pelas Clínicas da Família são:

• Consultas individuais e coletivas;
• Visita domiciliar;
• Saúde Bucal;
• Vacinação;
• Desenvolvimento das ações de controle da dengue e outros riscos ambientais em saúde;
• Pré-natal e Puerpério;
• Acolhimento mãe-bebê após alta na maternidade;
• Rastreamento de câncer de colo uterino (preventivo) e câncer de mama;
• Raio-x;
• Eletrocardiograma;
• Exames laboratoriais de sangue, urina, fezes e escarro;
• Ultrassonografia;
• Curativos;
• Planejamento familiar;
• Teste do pezinho, teste do reflexo vermelho e da orelhinha;
• Teste rápido de sífilis e HIV;
• Teste rápido de gravidez;
• Programa Academia Carioca;
• Controle do Tabagismo;
• Prevenção, tratamento e acompanhamento das DTS e HIV;
• Acompanhamento de doenças crônicas;
• Identificação, tratamento e acompanhamento da tuberculose;
• Identificação, tratamento e acompanhamento da hanseníase;
• Ações de promoção da saúde e proteção social na comunidade.

Muitos serviços que irão deixar de ser opções eficientes para a população. É um descaso com os cariocas que ele prometeu cuidar.

(Por Luiz Martins)
Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Copyright © JORNAL IMPACTO | Suporte: Mais Template