quarta-feira, 9 de outubro de 2019

UERJ DISCUTE AGENDA 2030 PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Com o apoio do Centro Brasil para a Saúde Global (CBSG), no dia 8 de outubro de 2019, foi realizado, no Teatro Odylo Costa Filho, uma discussão sobre a AGENDA 2030. O objetivo foi promover debates em torno dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), plataforma multilateral da ONU para promoção de uma vida digna dentro dos limites do planeta.

Agenda 2030 - Foto: Luiz Martins
Tomando como eixo as questões cruciais ligadas ao meio ambiente, buscando as conexões com saúde, educação e justiça social, entre outros ODS. Foi colocada em foco a atuação da universidade na produção de conhecimento necessário à resolução dos problemas nas diversas áreas abarcadas pela Agenda 2030, que propõe a indivisibilidade das dimensões econômicas, sociais e ambientais do desenvolvimento.

Apresentação da Agenda 2030 - Foto: Luiz Martins
Na parte da manhã, a partir das 10h, houve uma introdução a esses temas pelo professor Eduardo Faerstein, do Instituto de Medicina Social (IMS), seguida de mesa-redonda com o reitor da UERJ, Ruy Garcia Marques, o presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), Luiz Davidovich, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, e a representante da ONU, Roberta Caldo. A mesa foi coordenada pelo professor Israel Felzenszwalb, do Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes (IBRAG).

Na mesa-redonda da tarde, a discussão foi coordenada pela professora Leticia Cotrim, da Faculdade de Oceanografia (FAOC) e contou com a presença dos estudantes de Oceanografia da UERJ, e de pesquisadores que apresentaram o quadro de suas áreas em relação aos ODS: Elisa Reis (socióloga, UFRJ), Paulo Gadelha (Ciência & Tecnologia, Fiocruz), Eduardo Faerstein (epidemiólogo, UERJ) e Mercedes Bustamante (ecóloga, UnB).

Foram discutidos os principais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, dando ênfase aos temas e questões que o Sistema ONU/Brasil considera relevantes no âmbito do processo de implementação dos ODS 1, 2, 3, 5, 6, 7, 9, 10, 11, 12, 14 e 15 no Brasil. 

Durante o evento foi destacado o ODS-10 Redução das Desigualdades. Como as instituições poderão atuar para progressivamente alcançar e sustentar o crescimento da renda dos 40% da população mais pobre a uma taxa maior que a média nacional. O que fazer para garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as desigualdades de resultados, inclusive por meio da eliminação de leis, políticas e práticas discriminatórias e da promoção de legislação, políticas e ações adequadas a este respeito.


Desigualdades no município do Rio de Janeiro - Foto: Luiz Gonçalves Martins - ODS 10
Falou-se também sobre o ODS-9 Indústria, Inovação e Infraestrutura. O que deverá ser feito para garantir uma rede de transporte público e infraestrutura urbana de qualidade, com condições necessárias para o desenvolvimento sustentável. Como promover a eficiência energética e inclusão social. O progresso tecnológico é também uma das chaves para as soluções dos desafios econômicos e ambientais. Garantir a igualdade de acesso a tecnologias é crucial para promover a informação e conhecimento para todos. O ODS 9 lista metas que visam à construção de estruturas modernas, fortalecimento industrial de forma eficiente, com valorização da micro e pequena empresa e inclusão dos mais vulneráveis aos sistemas financeiros e produtivos.

Indústria, Inovação e Infraestrutura - Foto: Luiz Gonçalves Martins - ODS 9
Ao final do evento, os participantes levaram brindes para casa com informações sobre os ODS. (Por Luiz Martins)
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

1 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Luiz,

Gostaria de agradecer imensamente a cobertura do jornal Impacto para o evento "Agenda 2030 na UERJ, UERJ na Agenda 2030".
Recebemos hoje, através da Tássia Cardoso, o link pra matéria.

Aproveito a mensagem para pedir uma pequena correção no texto do seu artigo. Eu coordenei a mesa da tarde (Painel II), está correto, mas também tenho o título de "professora", como os meus colegas Eduardo Faerstein e Israel Felzenszwalb.

Ficaria muito grata se a minha titulação fosse adicionada ao texto, obrigada!

Atenciosamente,
Leticia Cotrim

Copyright © JORNAL IMPACTO | Suporte: Mais Template